APRESENTAÇÃO

O principal objetivo do Blog “Umbanda no Século XXI, perspectivas e desafios” é aglutinar num mesmo local a produção cultural, artística e educacional Umbandista, que encontra-se disponível, mas dispersa, nos mais diversos meios, tais como a internet, livros, revistas, artigos, textos, dissertações e teses acadêmicas, entrevistas, material audiovisual (documentários, vídeos e filmes), de forma a constituir-se num grande “banco de dados” “sobre” e “da” Umbanda, caracterizando-se por ser uma fonte de informações didáticas, de cunho pluralista, não sectário e democrático, e, sem discriminação de qualquer ordem.

Não se pretende com a criação do Blog substituir a tradição da oralidade existente na Umbanda, no Candomblé e nas Demais Religiões de Matriz Africana, mesmo porque as civilizações africanas, eram em grande parte da palavra falada, com os testemunhos transmitidos oralmente de geração em geração, mesmo onde existia a escrita.

Mas, isso acontecia também porque poucas pessoas sabiam escrever, ficando a escrita muitas vezes relegada a um plano secundário nas preocupações essenciais da sociedade.

Seria um erro reduzir as civilizações da palavra falada simplesmente a uma negativa, "ausência do escrever", as tradições orais, representam a atitude de uma civilização oral, totalmente diferente de uma civilização onde a escrita registrou todas as mensagens importantes.

Entretanto, deve existir a preocupação com a perda dos ensinamentos, assim, com o material audiovisual coletado se perpetua e reconhece a importância dessa tradição, mas, para que não se perca um sem número de mensagens, instruções e ensinamentos, se registrará em meio magnético e, também a versão escrita.

Além disso, com seções específicas para notícias de eventos, lançamentos de livros e revistas, links e informações de outros sites e blogs, se pretende dar uma dinâmica ao Blog, que corresponda efetivamente ao efervescente dia-a-dia vivenciados nos templos pelos fiéis Umbandistas.

Memória da Umbanda no Paraná

Para resgatar a memória, objetivando preservá-la, propõe-se, a criação do “Círculo da História Umbandista”, um canal de debates e entrevistas com personalidades marcantes da história da Umbanda no Estado do Paraná e no Brasil, que deverá gerar textos inéditos, especialmente destinados ao Blog.

Gradativamente serão publicados nas seções “Resenhas” e “Debates”, resenhas de novos lançamentos editoriais e debates importantes, principalmente relativos aos temas mais polêmicos.

Dossiês

Além dessas seções permanentes, se pretende construir dossiês sobre temas relevantes, com a característica de incluir tudo o que for conhecido inerente ao tema em questão, tornando-se num documento completo.

Desde já, lançamos o primeiro tema para um dossiê: “Religião e Política sob a ótica dos dirigentes Umbandistas “, tendo em vista o período recente e as ações executadas nas eleições de 2014, bem como as perspectivas para o ano de 2016.

A reflexão sobre a relação Política X Religião, é necessária e urgente para os Umbandistas, Candomblecistas e fiéis das Demais Religiões de Matrizes Africanas como forma de ampliar a ação no campo institucional, afim de diminuir o preconceito e a discriminação. 

Essa relação, não é ponto pacífico, por existirem controvérsias; assim, há dirigentes Umbandistas que defendem a participação efetiva destes fiéis e simpatizantes na política institucional, e, outros que são favoráveis a manutenção do atual “status quo”, deixando a religião para dentro das paredes dos templos.

Como forma de abrir efetivamente essa discussão, visando ter uma posição consolidada para as eleições de 2016, é necessário iniciar imediatamente esse debate, partindo dos aspectos e fatos relevantes da história política brasileira vertidas e privilegiando a participação dos Umbandistas.

Também merece destaque o papel que poderá ser desempenhado pelo Blog, como uma ligação entre os dirigentes, correntes mediúnicas, grupos de estudos, centros de pesquisa e pesquisadores, o que propiciará participação ativa, mas, coordenada nas iniciativas de cunho e interesse geral.

Cita-se como exemplo, a mobilização nacional em repúdio a sentença proferida pelo juiz da 17ª. Vara da Justiça Federal do RJ, que afirmava que a Umbanda e o Candomblé não seriam religiões pela ausência de certos atributos.

Este extenso material, em conformidade com a proposta editorial do Blog, visa contribuir para a pesquisa, a reflexão crítica e a difusão do pensamento Umbandista no Brasil contemporâneo, contribuindo para atenuar a distância entre a Umbanda escrita e a Umbanda praticada nos templos. 

Dessa forma, colaborando para o aumento do conhecimento “sobre” e “da” religião, se pretende auxiliar na diminuição do preconceito e da discriminação, ainda existentes, infelizmente, na sociedade brasileira do século XXI.

Embora exista a consciência de que o público leitor se concentrará mais nos templos, sabe-se que as mídias sociais podem ajudar numa disseminação maior, nos meios acadêmicos universitários (docentes e estudantes), o que cria a expectativa de que o Blog venha a se constituir numa referência relevante na formação teórico-teológica dos dirigentes, médiuns e simpatizantes, além de base de pesquisa para a efetivação de um ensino religioso que respeite todas as tradições religiosas, voltada para os professores e alunos das escolas públicas e privadas, oferecendo um material de pesquisa diferenciado não só pela quantidade disponível num só site, mas, e principalmente, pela qualidade apresentada.

Comunidades de Terreiro

A criação dessa seção materializará o desejo e a vontade de registrar as importantes contribuições dessas comunidades nas “mobilizações sociais em atividades assistencialistas”, acontecidos e existentes no Brasil, como justifica-se no texto de apresentação.


Embora a ênfase do trabalho editorial esteja notadamente na divulgação de textos teóricos "sobre" e "da" Umbanda, o Blog também publicará trabalhos que debatam a conjuntura política e social brasileira; contudo, nestas análises conjunturais enfatiza-se a necessidade de estarem fundadas e articuladas com conceitos teóricos Umbandistas, ou com aspectos da vinculação social das comunidades com a sociedade onde estiver inserida.



DINÂMICA EDITORIAL

Iniciativa de dirigentes Umbandistas, escritores e pesquisadores da religião, o Blog se consolidará e será bem-sucedido, “se e somente se” tiver o compromisso e a solidariedade participativa das entidades representativas, de estudos, ensino e pesquisa, dos editores, dos autores e, principalmente, das “Comunidades de Terreiros” existentes no nosso país e no exterior, que serão ao mesmo tempo criadoras do Blog e leitoras dos assuntos postados.


Comitê Editorial

Por ocasião do lançamento do Blog, serão criadas duas instâncias de trabalho editorial, um Comitê Editorial composto por 9 (nove) membros, cujo papel é assumir as responsabilidades mais efetivas no trabalho editorial, formado por escritores e pesquisadores Umbandistas e, um Conselho Consultivo composto por 27 (vinte e sete) membros, formado por dirigentes de templos Umbandistas das mais diversas escolas e/ou linhas de trabalho, sob a condição de que estejam em atividade, dirigindo efetivamente uma Gira num Terreiro ativo.

Os membros de ambas as instâncias, Comitê Editorial e Conselho Consultivo, se comprometem a escrever à editoria e colaborar com a produção de matérias sempre que solicitadas.

As reuniões das duas instâncias se darão virtualmente através da utilização de aplicativo que permita a comunicação do grupo, como se fosse presencial, assim, eliminam-se as distâncias físicas e aproximam-se membros do Comitê Editorial e do Conselho Consultivo.

Funcionando de forma colegiada, nestas ocasiões, basicamente, serão feitas as avaliações do trabalho editorial e discutidas as propostas de novas postagens.

No cotidiano do Blog prevalecerá, contudo, prioritariamente, uma intensa correspondência via e-mail.


COMITÊ EDITORIAL

Conselho Consultivo

O Conselho Consultivo será criado com o objetivo de assessorar a editoria por meio de propostas de matérias (artigos, teses/dissertações, vídeos etc.), informações sobre eventos e avaliação crítica do trabalho editorial do Blog. 

Para que se trabalhe de forma organizada, buscando a uniformização de procedimentos, o envolvimento orgânico na coordenação e organização dos dossiês e seções do Blog, ensejando a efetiva participação de todos, será realizado um planejamento de atividades editoriais, em princípio presencial, já no começo de 2016, em local e data a ser comunicada.

Avalia-se que existirão dificuldades, por um lado, pelos limites impostos pela lógica do “tarefeirismo”, do volume e da constância dos afazeres particulares de cada um, e por outro, pelo distanciamento existente entre a teoria e a prática efetiva nos templos.

A lógica das tarefas reflete-se não só na imposição de uma carga de trabalho que dificulta o envolvimento dos dirigentes (estudiosos Umbandistas) com as atividades não vinculadas aos seus deveres pessoais (particulares) e religiosos (litúrgicos e ritualísticos).

Deve-se destacar ainda a inexistência de qualquer relação mais constante e institucionalizada entre os dirigentes dos templos, o que dificulta a saudável polêmica e o debate franco e aberto.

Por outro lado, nas comunidades de terreiros ainda prevalecem o ativismo e uma perspectiva teórico ritualística autorreferente em detrimento do estudo mais profundo (em função da oralidade?) e da ampliação de referências teóricas.

Talvez esta situação explique o fato de que no Brasil edições tidas como bem-sucedidas de livros e revistas Umbandistas girem em torno de mil exemplares (informação dos próprios autores, uma vez que em muitos casos não se tem a tiragem auditada), num universo aproximado de 200 milhões de brasileiros.

Tais dificuldades de interlocução, engajamento e mobilização precisarão ser superadas, na medida em que, como afirma a proposta editorial, o Blog “Umbanda no Século XXI, perspectivas e desafios”, visa responder às necessidades intelectuais não apenas de dirigentes, médiuns e simpatizantes, mas também de ativistas sociais, professores e estudantes do ensino médio, informando-os sobre as atividades, os eventos e as diversas produções teóricas/teológicas comprometidas com a Umbanda criada pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas pelas mãos do Médium Zélio Fernandino de Moraes em 1908.


CONSELHO CONSULTIVO

Expectativas

Parece não haver dúvidas sobre o fato de que o Blog, em pouco tempo, poderá tornar-se relevante referência na pesquisa Umbandista brasileira – sobretudo enquanto um grande repositório de textos didáticos. A questão que se coloca é saber não apenas o que é possível ser feito para ele se consolidar nesse sentido, mas, sobretudo, o que é necessário fazer para que ele represente um salto de qualidade quanto ao seu objetivo (aglutinar quantitativa e qualitativamente o conhecimento dos Umbandistas) e, qual seria a melhor e principal direção a ser trilhada para que isso ocorra. Existe, porém, uma questão que antecede essa discussão:

Qual é o ponto de partida mais adequado para se situar os desafios atuais e futuros do Blog, as necessidades externas de buscar a evolução da pesquisa Umbandista brasileira, especialmente a feita nas universidades, ou, internas, no atendimento das exigências dos leitores tradicionais?

Caso atenha-se nesse critério de atender aos leitores tradicionais, reafirma-se a tendência de falar para pequenos círculos - fiéis Umbandistas, ativos nos templos -, que não atinge o conjunto da sociedade, tampouco auxiliará de maneira ampla, o transbordo dos atuais paradigmas de preconceito e discriminação.

Dessa forma, entende-se que a maneira correta de se abordar a questão é situando-a no quadro mais amplo da discussão teórica, teológica e litúrgica, colocada para os Umbandistas nos marcos conjunturais da atual sociedade brasileira.

Ou seja, é debatendo essa conjuntura – em sentido amplo, envolvendo seus aspectos políticos, teóricos, teológicos, sociais, culturais e etc. – que poder-se-á de fato, entender os desafios a serem enfrentados.

Não se pretende aqui discutir todos os diferentes aspectos dessa conjuntura; mas elencar os temas principais, que merecem análise, debate e um posicionamento coletivo.

Apesar dos avanços observados nos últimos anos, o movimento Umbandista não tem conseguido responder ao conjunto de questões propostas pela contemporaneidade, – diminuição acentuada de fiéis e fechamento de terreiros, avanço das religiões evangélicas neopentecostais, crescimento dos conflitos inter-religiosos, relação entre a Umbanda e a sociedade, a crítica à formação deficiente dos dirigentes (novo e antigos), principalmente sobre a forma como são tratadas as missões vocacionais definidas pela espiritualidade e o simples desejo do médium tornar-se dirigente para ascender socialmente, e por último, as questões inerentes à liturgia Umbandista e as grandes polêmicas (cobrança X caridade, sacrifício X protecionismo animal, diversidade X codificação, dentre outras).

Além disso, outro conjunto de temas envolve as especificidades da formação social/religiosa brasileira, que deve merecer atenção dos pesquisadores e dos Umbandistas: a herança do escravismo e a laicidade do estado, no qual acredita-se que as quatro matrizes religiosas existentes, Africana, Indígena, Ocidental e Oriental, com as suas diferentes tradições, devam ter o mesmo grau de aceitação e respeito, pela sociedade como um todo, partindo do seu reconhecimento institucional.

Dessa forma, o Blog deve situar-se no cenário mais amplo da disputa teórica, teológica, cultural e política da sociedade brasileira, como uma referência para oferecer orientações mais sólidas para superar esses desafios. Notadamente quando esse cenário pode ensejar conflitos sociais cotidianos, envolvendo os Umbandistas, Candomblecistas e fiéis das 
Demais Religiões de Matriz Africana e outras parcelas da sociedade brasileira.

Portanto, da maneira mais geral, crê-se que assim os Umbandistas poderão revelar toda a sua potencialidade como a teologia da transformação social, reconhecendo e praticando a religião brasileira que mais cresceu, como referência insubstituível no espectro das religiões professadas em nosso país, estabelecendo a relação indissociável entre a teoria e a prática ritualística, ultrapassando dessa forma, as barreiras do conhecimento hoje existente.

Em suma, a discussão sobre as perspectivas do Blog deve ser orientada por um critério externo capaz de extrapolar os limites atuais, objetivando situar a sua contribuição no cenário mais amplo da mobilização de todos os Umbandistas contra a discriminação e o preconceito e pelo reconhecimento institucional da religião; e não por um critério interno, que privilegie pequenos grupos.

Desafios

A guisa de uma introdução ao debate, elencamos sumariamente os seguintes desafios:

a)           Ampliar a divulgação da Umbanda e os seus aspectos filo/religiosos, teológicos, litúrgicos e ritualísticos como argumentos na mobilização contra a discriminação e o preconceito;

b)           Respeitar a diferença de opiniões, sem deixar, porém, de demarcar com a maior clareza possível as características próprias da Umbanda e a sua relação com as diversas correntes de pensamento com problematização teórico/teológicas distintas. O diálogo só pode avançar com a clara explicitação das diferenças entre a Umbanda e as outras religiões abrigadas sob essa denominação, e não através de sua ocultação ou das superficiais buscas de pontos de contato;

c)            Estimular e fortalecer os laços entre a pesquisa Umbandista universitária e as iniciativas de formação realizadas nas Comunidades de Terreiros e os outros movimentos sociais;

d)           Dedicar especial atenção à discussão com a nova geração de Umbandistas e de pesquisadores, seja na universidade ou fora dela;

e)           Contribuir para democratizar e aprofundar ainda mais o debate franco e aberto entre os Umbandistas, livre de qualquer condicionamento posto por relações de poder, mercantis, de amizade, etc., procurando focá-lo na troca permanente de argumentos consistentes e não em torno de pessoas (messianismo);

f)             Continuar respeitando a rica pluralidade de correntes e de interpretações no interior da Umbanda, sem privilegiar nenhuma delas, na permanente busca pelo aprofundamento do debate e pelo refinamento da argumentação, em estrita consonância com os objetivos do Blog;

g)           Contribuir para o desenvolvimento de uma análise sistematizada e profunda sobre a conjuntura brasileira, entendida em sentido amplo – econômico, político, teológico, ideológico, social, cultural e etc., e os seus desdobramentos religiosos;

h)           Potencializar a ação voltada para a articulação nacional entre pesquisadores e grupos de estudo, incentivado a intervenção plural, democrática e unitária dos Umbandistas em todas as questões possíveis, sem exclusão ou favorecimento de qualquer ordem.

Medidas práticas

a)           Profissionalizar o trabalho editorial, facilitando a publicação dos mais diversos autores;

b)           Fortalecer a seção das “Comunidades de Terreiros”, procurando estabelecer um diálogo permanente entre elas no sentido de contribuir para a sua formação teórico/teológica da Umbanda;

c)            Criar o “Círculo da Memória Umbandista” voltado para a pesquisa, análise, sistematização, debate e registro de questões vinculadas aos mais diversos fatos, ao longo da linha do tempo;

d)           Discutir a possibilidade de criação de uma revista, inicialmente online, voltada especialmente para incentivar a produção teórica dos jovens pesquisadores das universidades e dos Grupos de Estudos das Comunidades de Terreiros – como estímulo ao estudo e pesquisa, dentro e fora das universidades;

e)           Consolidar as seções “Resenhas”, “Mural”, e “Comunidades de Terreiros”, que ensejam a participação de novos autores Umbandistas, sem descuidar das publicações dos autores Umbandistas clássicos.


PROPOSTA EDITORIAL

Passados 107 anos da anunciação terrena da Umbanda, a Teologia Umbandista tem despertado um significativo e abrangente interesse em todo o país, notadamente nas novas gerações de Umbandistas que tendo nascido na “era do conhecimento” tem uma vontade muito grande do saber, sendo percebida mais claramente a partir da comemoração do 1° Centenário, em 2008. 

Isso decorre em parte da natureza metafísica da Umbanda e de sua dimensão caritativa, decisivas não apenas para a manutenção das correntes mediúnicas e assistência nos terreiros, como também para a diminuição da discriminação e do preconceito, ainda existentes na sociedade brasileira contemporânea.

Entende-se também que o Movimento Umbandista conseguirá responder aos desafios do Século XXI, se mantendo aberto à confrontação permanente com os novos fenômenos da atualidade, sejam religiosos, políticos, sociais ou culturais, testando sempre a validade de suas hipóteses. Entende-se que a práxis não pode prescindir da formulação e da prática. 

Por sua vez, a afirmação teológica da Umbanda e a sua aceitação social, nunca será um ato gratuito, implicando sempre no compromisso com as mobilizações sociais e políticas, analisados a partir das questões de caráter religioso, como pano de fundo para as transformações que a sociedade brasileira quer e necessita.

Com características inéditas, uma vez que se pretende plural, democrático e não sectário, o Blog “Umbanda no Século XXI, perspectivas e desafios”, visa responder às necessidades intelectuais não apenas de fiéis Umbandistas, frequentadores e assistidos, mas também de estudantes, pesquisadores e dos professores de qualquer grau do ensino, disponibilizando as mais diversas informações sobre as mais diversas produções teóricas comprometidas com a Teologia Umbandista, mas também com comemorações, programações e eventos, que possam auxiliar a busca pelo conhecimento.

Convencidos de que a maior riqueza, assim como a complexidade da Teologia Umbandista se manifesta pelo seu pluralismo e diversidade, o Conselho Editorial do Blog se empenhará em divulgar as diferentes interpretações, dos diferentes métodos, das diferentes “escolas” Umbandistas sobre a sua liturgia.

Comprometido com uma orientação democrática, não sectária e pluralista, o Blog não privilegiará nenhuma tradição teológica nem se associará a qualquer corrente social-teológica atuante na cultura Umbandista, sendo aberto a todos.

Além disso, o Blog pretende ser um espaço de convergência da pesquisa Umbandista buscando conferir-lhe um caráter mais articulado, amplo e coletivo, imprescindível, num país com as dimensões continentais do Brasil. O Blog tem ainda a pretensão de ser, sobretudo, um instrumento útil e valioso nos embates teóricos, políticos, teológicos e ideológicos, através da mais ampla difusão do pensamento Umbandista.

Esta expectativa funda-se na convicção de que o suporte oferecido pelas ferramentas e mídias digitais, bem como os debates relativos à sua democratização e socialização, devem ser questões e desafios enfrentados pelo Movimento Umbandista no Século XXI.


O Blog “Umbanda no Século XXI, perspectivas e desafios”, não é propriedade intelectiva de seus criadores, mas um espaço aberto e democrático, contando com o compromisso de participação de todos, Umbandistas ou não, que se dispuserem a participar de sua construção, crescimento e consolidação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigado por comentar no "Blog Umbanda no Século XXI, perspectivas e desafios". O seu comentário está sujeito á moderação pelo Conselho Editorial conforme a política editorial e não contendo linguagem ofensiva a pessoas ou instituições será publicado após a verificação pertinente. Axé!